Nossas terras
O aroma das horas, dos dias pensando ...
O rio fala,
a Terra aprende.

Valdecobos, fornecida em argila e calcário e rica em ferro, potássio e outros minerais, produzidos em um dos vales mais preciosos da região de Ribera del Duero que sofre menos rigor das geadas da Primavera e Outono e obtem um sol que amadurece o fruto com perfeição, sem a necessidade de fertilizantes orgânicos ou tratamentos nas vinhas.
Ao lado da vinícola Linaje Garsea, a segunda área de vinhas corre paralela ao rio Douro na região de Aranda. Terra, o mais chuvoso e rico em matéria orgânica, mas também mais expostos ao clima rigoroso, tem vinhas deve tomar muito cuidado, dar-lhes um tratamento especial, ser mais conscientes deles, como a água sai facilmente e você tem que levá-la para baixo através uma tira de drenagem para que as raízes procurá-la com cuidado, resultando menos uvas, mas de excelente qualidade.
A terra de Quiñonera é dura, sóbria e sem água. Muito mineralizada, dá pequenas e compactas uvas. Uvas sensacionais que estão começando a escrever o nosso futuro.
A vinícola possui um total de 51 hectares de terra própria e da família, toda mantida por nós. Algumas vinhas tem até 45 anos de idade. Há mais de 3.000 videiras por hectare, bem abaixo do permitido (4.000 por hectare) pelo Comitê de Controle da Origem e Designação que apóia os nossos vinhos, afim de assegurar uma melhor distribuição da vinha e maior controle da produção.

As quatro estações, cinco sentidos

A vinha é uma entidade viva, e se você a ama, ela vai te amar também. Assim, a cada gole de vinho resulta em um presente original.
No inverno, a videira descansa. Nós podamos a videira deixando apenas três hastes para o futuro e após o período de geada, deixamos apenas duas. Resistir a geada é bom para o solo, mas perigoso para a planta, que terá sido um teste bem-sucedido.
Na primavera, encontramos no campo os primeiros traços de vida. A poda dos galhos ajuda a videira a distribuir a sacarose com menos galhos e folhas, enriquecendo, assim, cada uva que nasce.
Durante o verão, permitimos o crescimento para que seja o mais natural possível, eliminando as ervas com os produtores para evitar o uso de herbicidas.

No outono, com o ganho de volume da fruta, e somente duas podas da uva. Sim! Uva! Para alcançar uma produção menor, mas de muito mais qualidade. E sim, nós fazemos em duas etapas para que a planta não se sinta ameaçada pela poda severa e, naturalmente, regular o seu próprio metabolismo.
E sem deixar o outono vem a colheita. Todo o trabalho do ano é recompensado com mais trabalho, se possível, ainda mais importante e crucial para a família: selecionar as uvas, sempre retiradas com a mão, sentindo sua pulsação do coração, apenas aquelas que tenham atingido uma boa maturação, às vezes à noite para que o calor não inicie a fermentação prematura. As uvas são limpas e empilhadas cuidadosamente na Adega em caixas de 12 e 20 quilos para que seja possível monitorar e evitar a deterioração.

Conhecimento e magia,
momento e carvalho

Assim que chegam na Adega, as uvas são novamente selecionadas e permanecem descansando alguns dias em tanques de aço de não mais de 15.000 litros, macerando em pequenas quantidades para extrair o melhor de cada fruta.
Em aproximadamente duas horas, a uva 100% vermelha vai ter extraído o suco já anunciando um excelente rosé. A pele restante irá enriquecer os vinhos tintos selecionados para Crianza e Reserva.
Para os tintos, nesta primeira fase o tempo de maceração das uvas varia entre 5 e 7 dias para os vinhos jovens e cerca de 9 dias para os vinhos Crianza e Reserva. Neste momento a uva por si só já terá liberado tudo o que precisamos dela, e inciará o processo de fermentação com através das leveduras presentes em sua pele.
Situando-se em todos os momentos do que acontece dentro dos depósitos, muitas vezes são removidos manualmente para refrescar a pele que é deixada no topo, e se espalha até 4 vezes ao dia com o suco de fermentação que ocupa a parte inferior. Assim, melhoramos a homogeneidade do vinho, permitindo um equilíbrio que explora toda a riqueza da fermentação das uvas.
Após a fermentação alcoólica e pressão manual do mosto, a fermentação malolática ativada pelos elementos da própria uva irá arredondar o caráter natural e saudável dos nossos vinhos.
Uma vez livre de impurezas, no nosso caso sempre sem filtragem, o vinho vai descansar em barricas de carvalho americano de Kentucky e Missouri, Francês de Vosge e Alier e também húngaro e espanhol. De 3 a 5 meses em nossas barricas. De 6 a 8, a colheita selecionada e alguns meses em garrafa. Vinhos Crianza será de 12 meses exigidos pelo nosso Conselho de Regulação e um extra de 2, 12 ou 14 em garrafa. Os vinhos Reserva passaarão 16 meses em barril e 20 em garrafa.

Os nossos vinhos da D.O. Ribera del Duero


Descubra-os

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.

ACEPTAR
Aviso de cookies